sábado, 7 de fevereiro de 2009

Ficha Imbecil Técnica

Em 1º de Maio do ano passado, eu respondi um questionário tipo esse (tá no arquivo aqui do blog) enquanto o Jeanta rocanva na minha cama. Quase um ano depois, ele capotou aqui no meu qaurto novamente e eu mais uma vez respondi outras perguntas idiotas pra passar o tempo... ¬¬


Nome: nathalia julia

Idade: 21 (fiz ontem)

MSN: seucuemperigomeupauemacao@hotmail.com

Cor preferida: preto... que nem o johnny

Uma cidade: a maior da américa do sul... SÃO PAULO

Uma comida: na bunda

Uma bebida: breja, energéticos, caipirinha, espanhola, meia de seda, bomberinho...alcool alcool alcool

Perfume: joop (é importado, usei quando tinha 15 anos e foi o único sucesso que eu tive na época

Desodorante: roll on são os unicos que servem pra mim, mas parece que to passando mel no suvaco... daí eu uso spray mesmo sabendo que nao vai segurar o invitável c.c.

Inspiração: larry fine (the three stooges)

Ídolo(a): bam margera

Um cantor: gerard way

Uma cantora: madonna

Uma música: saturday night, do misfits... me faz pensar no ted bundy

Um grupo: klb, eu tive problemas de intestino preso e eles me ajudaram a superar, através de suas músicas que geraram uma diarréia instantânea!

Estilo musical preferido: pop, rock, hip-hop

Um ator: jim carrey – comeria rindo!

Uma atriz: minha mãe, precisa ver ela fingindo que me ama

Um filme: de volta para o futuro!!! na verdade são muuuuuuuuuuuuuitos outros! inclusive de volta para o futuro 2!

Uma diva que adores: monique evans é diva

Uma diva que detestes: j.lo e seus casacos de pele, diva da morte

Um sonho: comer de tudo o tempo todo e nao engordar

Uma mania: falar em inglês sozinha

Um livro: serial killers.... da ilana casoy.

Um videoclipe: everlong do foo fighters

Uma droga: qualquer uma, passa pra cá

Um hobbie: igual o da carla perez, de seda.

Um esporte: err... eu fiz natação durante 6 anos.

Tipo de homem: cabelo estilo strokes já é meio caminho bem andado

Um estilista: aquele que adora caveiras... alexandre herchovitch (valew google)

Cor do cabelo: loiro acizentando com rosa, vermelho e roxo (pintei hoje)

Cor natural do cabelo: castanho (qdo era pequena, loiro claro. tenho fotos para provar!)

Olhos: castanhos e míopes, talvez por anos usando lentes verdes

Batom: vermelho borrado, sério, eu borro de propósito... acho estilo UAHAUAH

Um defeito: transtornos de conduta, delinqüência, D.D.A

Posts que nuncam foram postados....


...até hoje.



"- Lembra daquela vez que você foi pedir açai e disse que não queria com batatas? Hahahaha!
- Não lembro, mas é capaz, não gosto muito de batata no açai...
- É banana!
- Ah é, banana, não gosto de banana no açai..."


"Quando as coisas começam a dar errado...
Fui almoçar e no caminho do restaurante, cruzei com 2 funcionários de onde eu trabalho, um deles, tentando ser simpático falou.. “e aí Nathalia, vamô pro happy hour depois?” e eu com pressa, fome e assando nesse calor satanico, apenas respondi “não..” . Só depois de alguns minutos, percebi o nível de antipatia que isso deve ter passado. Logo em seguida, o nível azarento que me perseguia, só aumentou... me deparei com um panfleteiro porra louca, que entrega papel fumando e com cara de mau... vejo esse rapaz sempre e honestamente, tenho medo dele. Chegay no restaurante e depois de almoçar-quase-vomitando, pois comi assistindo o horário político (ou olhava pra TV, ou pro cofre do gordão na mesa de frente) eu fui pagar minha refeição, quando ouvi em um tom áspero.... “seu cartão está sem saldo..”. me baixou um Hermes e Renato na cabeça... só conseguia pensar “PUTA QUE PARIO, PUTA QUE PARIO”. Falei com a caixa, expliquei que sou cagada, mas não ladra, que sou gorda, mas que pago pela comida que me embanhece, ela foi compreensiva e me liberou de boa... voltando pra empresa, mais uma vez cruzei com o panfleteiro do mal e tudo isso, vejam bem, mancando, pois desde o dia 2, quando torci o pé esquerdo na estação sé, eu não consigo andar direito. Fui até minha sala, catei a grana e voltei pra frigideira de asfalto, que alguns chama de rua, vi o panfleteiro pela 3ª vez, paguei aquela porra de almoço de pedreiro e então vi o desgraçado do panfleteiro pela 4ª vez.. que a essa altura, já chava que eu estava rondando a região pra paquerar ele (ou que na verdade, eu queria roubar seus precisos planfletos).
Essa é minha vida, galera de meu deus... comer sem pagar, tratar mal meus companheiros de trabalho e paquerar panfleteiros serial killers."

"Sim, mas é claro... Eu fui ao show de PARAMORE. Como eu perderia? Assim que soube que eles viriam, eu senti no meu corazon de melon (to parecendo um crente latino falando) que deveria ir. Algo como... se eu não for, estarei indo contra as leis do universo e dando início a um caos mundial. Ok, deixa eu apagar meu baseado pra continuar o post... uahauhauaha
Saí do trabalho e pegay um táxi até o Credicard Hall. Chegay lá e claro, dei de cara com to-do-ti-po-de-gen-te. Me lembro de olhar pra um pessoal, vestido de maneira agressiva, como se estivessem indo à um show do Iron Maiden e pensar “mew, nunca que eu ia achar que esses seres curtem Paramore”, pois convenhamos que é uma banda pop-rock. Acho compreensivo fãs emos, fãs “from U.K.”, fãs normais (me refiro a jeans e camiseta preta, estilo seu Madruga, meu modo preferido de me vestir), agora, tinha uns mano com jaqueta de couro, com pixações de bandas punks dos anos 80... Tosco saber que tem gente que vai assim ao show de uma banda totalmente teen. Mas beleza, né? Na real, quem sou eu pra falar alguma coisa!Tenho Misfits e Britney Spears na playlist do MP4.
Tentei me encontrar no meio da suruba de cabelo coloridos e perguntei a um segurança “onde é o fim da fila, se é que ele existe?” daí ele respondeu brincando “é aqui mesmo”, sendo que eu não estava nem na metade dela, mas a galera de lá me disse que eu podia ficar de boa. Jane e Márcio estavam lá desde cedíssimo, a Jane inclusive, parecia um camarão! Quando nos mostrou o braço, eu e o Márcio falamos um “nooooffaaa!!” em tão perfeita sincronia, que parecia aquela vinheta do Pânico. Também tinha um pessoal muito “deixa a vida me levar, vida leva eu”, que chegaram lá sem um puto no bolso, pra mendigar uns trocados e na sorte conseguir comprar um ingresso de cambista... e para aqueles que não conseguiram, o jeito foi pegar a grana “arrecadada” e encher a cara. Vi um tio muito escroto, já devia ter uns 35 anos, 4 filhos e 2 ex-mulheres, cabelinho descolorido, franjinha de lado, pagando de adolescente, se anunciava hetero com orgulho, mas se aquilo ali não queima, nada nesse mundo um dia será queimado... ele tava com uma garrafa de fanta uva, misturada com pinga, dando uma de porra-loka. Nossa, se a mãe dele descobre, hein, gente?
Conheci uma galera que veio de Campinas e eu ficava mó sem graça quando tava trocando uma idéia e faziam a clássica pergunta “você ta aqui desde que horas?”. Ia responder o que? “Ahh... acabei de chegar, você que é trouxa de ter madrugado, hehehe”. Quem passou por lá, sabe Deus por quê, foi o Lucas do Fresno e sua calça esmagadora de rôla. Algumas meninas (muito mongas por sinal) perderam o lugar que guardavam há horas na fila, pois saíram correndo atrás dele... à toa, já que o miguxo deu o fora rapidíssimo, assim que ouviu os primeiros gritos histéricos.
Choveu para a tristeza das franjas emos espalhadas pelo local e os portões só se abriram as 21:30, junto com a surpresa de que aquela fila, era na verdade a da platéia, sendo que geral que estava plantado lá há horas, tinha ingresso pra pista. Confusão, estresse, choradeira, empurra-empurra geral. No final, eu, assim como várias outras pessoas, acabei entrando antes mesmo, de gente que estava acampando lá desde sexta. Haja revolta da parte deles, mas àquele ponto, não havia muito que se fazer. E em pique de estação Sé as 18hs, entrei no Credicard Hall. Foi como um de já vu da primeira vez que entrei no Via Funchal. Achei meu lugar ao sol, na região central da pista e aí, era só aguardar o que estava por vir e como veio (ui!). Primeiro, a banda de abertura River Rade, o som deles é muito bom, mesmo! O que me deixou impressionada, pois ainda assim, haviam aqueles (minoria vai...) que vaiavam e xingavam. Bandetrouxa. Paramore chegou ao palco, Hayley doente, cuspindo igual uma louca... fuckin' awesome! Ainda assim, cantou pra porra, bateu cabeça, fez suas dancinhas e ao invés do classico "we are Paramore" ela disse "nôs sômos Paramore" (a acentuação é tentar mostrar o sotaque). Show curto, mas bom. Tomei chuva em um dos momentos mais lindos da minha vida, até o táxi para ir embora... eu e meu red bull. Cai da cama e quase quebrei o braço aquela noite. Fui trabalhar parecendo a Elba Ramalho, ou um anjo (como disse uma doce funcionária da minha empresa) e tomei tanto energético pra não capotar no expediente, que comecei a tremer e passar mal... mas sobrevivi e hoje , dois dias depois, acho tudo lindo."


"Odeio perder as coisas. Eu me apego a elas, essa que é a verdade. Perdi Pipis IV! Fiquei em choque! Foi como perder parte de mim, até porque ele ficava pendurado em um pedaço de carne no meu nariz. Espero que ele esteja em um lugar melhor... no céus dos piercings, seja lá onde for.
Também perdi o macaquinho que veio pendurado na minha bolsa nova. Em menos de uma semana, nós tivemos uma relação de amor é ódio. Primeiro, eu o achava feio, o apelidei de Genivaldo, pensava em arrancá-lo e deixar ele de lado. Até que fui vendo seu charme. Ele tinha uma franjinha emo do lado direito, que eu, trouxa como sou, achava que era uma orelha. Me revoltava “só porque foi barato, eles vendem com defeito”, até que a Doki me mostrou “sua mula, isso é o cabelo dele, as orelhas são essas aqui!!”. Agora, ele se foi... Sabe-se lá por onde anda, se passa frio ou fome. Volto a dizer, mesmo que em tom de brincadeira: ODEIO PERDER AS COISAS."



quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

- O

Tipo, eu sempre me achei a estranhona, a diferente, a sem família (sentiu o drama?), mas algo engraçado aconteceu... quer dizer, mais ou menos. Minha irmã teve que viajar para o interior, onde moram minhas 2 primas lindas, que eu só vi pessoalmente quando era pequena e elas, menores ainda! Daí quando a Sueloka voltou, comentou que entre outras coisas, uma delas também tem um certo costume de fazer tatuagens fakes e que a outra mencionou que ia pintar a unha de amarelo (a minha tá verde no momento), que são todas "roqueirinhas" (usando a expressão da minha irmã) e que lembram muito meu jeito. Há um tempo eu as adicionei no orkut e realmente, o gosto musical é identico ao meu (não tô chamando elas de emo...heh) . Ahhh que estranho isso... será que é de família?

domingo, 1 de fevereiro de 2009

So, she's in Brasil, huh?

I remember the very first time I've seen this video and how it affected me, years later, it still gives me goose bumps...

Tipo de coisa...

...Que eu postava no meu antigo fotolog, o /nadonna
Que saudades ele me dá da minha adolescência, sim, pois hoje sou uma... jovem... adulta.
Ah, como era linda a época em que eu era cheia de amigos, mudava a cor do cabelo todo mês, vivia em bar e recebia 10 comentários por foto UAHAUHAUAHAUAH