terça-feira, 29 de junho de 2010

Uma justificativa?

Acho que a verdade, é que eu mesma me coloco nesse tipo de situação. Uma espécie de auto sabotagem. Talvez se fizesse terapia iria entender essa minha tendência ou talvez morreria com a dúvida. Mas, cogitando as possibilidades, bem, pode ser que eu me sinta atraída por esse tipo de decadência, insanidade, pra me sentir menos mal quanto a mim mesma. Ou talvez seja justamente minha identificação com a loucura doentia que me faz ir fundo, mais fundo do que possam imaginar nesse lado sombrio. E aí, quando eu sugo tudo que podia absorver, quando me torno obcecada por aquilo que traz repulsa aos demais, eu me sinto parte do que busquei, como se na verdade, não fosse um simples interesse mórbido, capaz de influenciar o meu humor, mas sim, algo que já estava dentro de mim e acordasse de vez em quando.

sábado, 26 de junho de 2010

"Vamô voar.." vs. "Eu vou vomitar!"

Bom, achei outro vídeo do Playcenter. Digo "achei" porque eu realmente perco as coisas no meu computador e esqueço completamente da existência. Até encontrar por acaso alguns dias, semanas ou meses depois. No vídeo, eu e a Doki estavamos no Barco Vicking e... bem, algo patético aconteceu. EU VIVO TIRANDO SARRO de quem passa mal em brinquedo babaca, mas aquele dia, eu fui a cagalhona. Nesta merda de parque pra pobre suícida que não pode ir pra Dysney, nada tem controle. O tempo no Barco é normalmente uns 3, 4, no máximo 5 minutos. Este dia a gente ficou uns 10, 15. Deviam estar testando alguma coisa... hehe.
Chegou uma hora que eu comecei a fica MUITO ENJOADA! Achei que ia vomitar lá mesmo! A Amanda, pensou que eu tava zoando (ou não) e começou a rir mais ainda da minha cara, recebi até palmas. Mas ao descer ela viu que era sério, a gente teve que dar mó tempo até ir em outro, pois eu tava me sentindo muuuuuito mal. Cuzona total, imagina, até fusca balança mais que este brinquedo.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

quarta-feira, 16 de junho de 2010

*-*

Wow...



I would do it too! For sure!



I know all there's to know about Dahmer. Probably more than these tattooed people do.
I know enough to actually think he was a good, loving guy.




The world owes him an apology.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

I Love You Phillip Morris

Sei que virou moda usar a expressão "tensooo!", mas nada mais se encaixa na definição do filme, da história. Eu juro que passei mal uma hora. Não sei se foi porque tava com a cara quase deformada de tanto tentar segurar o choro ("não vou chorar, a Glê vai rir da minha cara, não vou!"), mas comecei a ter falta de ar, o famoso nó na garganta. Pode? Isso porque na hora, eu nem sabia que era baseado em uma história real, o que me consolou pra não desmaiar lá na sala foi pensar "calma, Nathalia, são atores, faz de conta, ok?".
O filme começa engraçado e vai ficando... com...pli...ca...do.
Você ri, você se emociona, você contrai a bunda de tensão, você se alivia e então percebe que virou uma bola de neve e não tem como terminar bem. Não vai ter o felizes para sempre. Claro que não, isso é o maior sinal de que não se tratava de ficção.
Quando acabou, pensei que havia odiado. Mas agora, que digeri mais ou menos, tô pensando até em ler o livro. Sei lá... tipo... tenso.




Tô pensando em fazer uma semana Ewan McGregor, porque do Jim Carrey eu já vi absolutamente todos os filmes, até os quadros do Living Color eu assisti pela internet.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

28 Dias Depois



Assisti o 28 Days Later. Realmente é beeem melhor que a sequência. Eu definiria, no meu talento em encontrar as palavras certas na hora de me expressar, como: o tipo de filme que você assiste contraindo as nádegas de tanta tensão. UAHAUAHUAHAUAH. Foda.
E tem o Cillian Murphy lábios de mel e o pênis dele, então vale a pena mesmo assistir.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Movies...

Bom, vou mostrar aqui alguns filmes que assisti, curtchy e bom, como eu tenho um blog, né, achei que não ia machucar se registrasse.

Year One



O filme é hilário. Abel é ninguém menos que Paul Rudd! Na boa, o trailer não é dos mais engraçados, mas o filme é genial (elenco foda)! Ainda mais se você foi criado em uma família católica e tá ligado em algumas coisas da bíblia. O filme me lembrou um livro que meu pai quase queimou quando encontrou no meu quarto, depois dele ler algumas páginas. Eu havia comprado ele quando tinha 12/13 anos e se chamava Como Educar Seus Pais. Aliás, é muuuuito parecido com o livro do Gentili, só que na minha opinião, é bem mais engraçado. Ou senão era, porque a última vez que li, era criança e provavelmente tudo era mais chocante naquela época.

I Love You Man



Não me lembro por que caralhos não fui ver no cinema. Acabei enrolando e só mês passado assisti este filme. Acho que tinha receio de ser uma comédia mela cueca, romantiquinha e Deusmelivre. Bom, felizmente, não é! Na real é bem engraçado e se trata mais sobre amizade do que conflitinhos de relacionamentos. Tem Paul Rudd também e Andy Samberg. Ou seja: me seca neném.

Iron Man



Eu sei. Fico dizendo que amo este homem, mas só assisti o filme que trouxe ele de volta ao sucesso, tipo, semana passada. Eu curto o Robert, provavelmente por causa dessa minha atração sem explicação plausível por junkies e judeus. "Jewkies" hehe. Ok, parei.
Nem eu sei a razão disso, mas toda vez que acho um ator bonitão, ou ele é judeu (ok, deve ser porque metade de Hollywood é) ou se envolve ou envolveu com drogas e é porra louca (ok, de novo, metade de Hollywood é). Eu vi o Robert pela primeira vez assistindo Gothika (lá pra 2004 quando alugay). Até lembro a cena que ele aparecia... de óculos, abrindo um guarda-chuva pra Halle Barry. E mano, foi amor a 1ª vista. Mãããs, o lance é que por mais geek que eu pareça as vezes, não gosto de filmes com super heróis, exceto Batman que sempre tem os melhores vilões. Cheguei até a comprar o Iron Man em DVD ano passado, coloquei pra eu e meu pai assistir nós dois começamos a roncar em menos de 10 minutos. Hahaha! Daí, como me trazia esse tipo de
lembrança (acho que nunca mais vou conseguir assistir Um Estranho No Ninho) eu estava evitando, mas finalmente assisti e let me tell you: o Robert além de ótimo ator (vide Chaplin e... Tropic Thunder, haha) é muito, muito, muito sexy. PQP!!



Bom, tem muito mais, mas agora tenho que voltar ao trabalho. Se lembrar de algum muito legal, volto a postar aqui, porque tem uns filmes cocô que eu vi, tipo "Pride and Glory", que eu tenho preguiça até de pegar o link do trailer. Na verdade, me deu preguiça de por qualquer filme aqui, até El Orfanato, que é do caralho e eu lembrei agora que assisti e quase me cagay. Sei lá, se estiverem lendo, fica a dica aí de uns filmes legais, se você vai cagar pra minha dica, não sei. Eu não cagaria.

Bye.