sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Pra terminar o ano

Primeiro, vai se foder todo mundo.

Segundo, isso:

'Se todo alguém que ama
Ama pra ser correspondido
Se todo alguém que eu amo
É como amar a lua inacessível

É que eu não amo ninguém
Não amo ninguém
Eu não amo ninguém, parece incrível
Não amo ninguém
E é só amor que eu respiro'

domingo, 25 de dezembro de 2011

Então é Natal... E o que eu fiz?

Eu sou a maior foreveralone em datas como Natal e Ano Novo. Até quando minha família era maior... sempre fazem tudo cedo e vão pra cama (a tôa, porque o que rola de fogos e funk na vizinhança, não deixa ninguém dormir). E eu... sobro. Fico sozinha, acordada, procurando o que fazer. Meus amigos somem, o que me faz pensar que a família deles ainda está acordada, bebendo, brigando e trocando presentes e nem na internet eu tenho com quem conversar. Felizmente, nos últimos anos, o Gentili, um foreveralone por opção, faz um chat natalino, aí eu e mais almas solitárias passamos com ele, que fuma charuto, fala merda e passa trotes. Ho, hoo, hoow.

 Sério.

Ontem a tarde eu recebi meu primeiro presente do Papai Noel: uma convulsão. Perdi a visão, fiquei tonta, comecei a tremer pernas e braços, igual alguém sendo possuída, queria não ser eu só pra ter visto a cena. Meu único medo era que minhas irmãs ficassem com medo e não me deixassem beber, mas para minha própria surpresa isso não aconteceu.
Depois que melhorei, fui me trocar e descobri que o vestido de 24 reais que eu comprei (em uma loja tão popular que populares têm vergonha de comprar nela) me deixa parecida com uma funkeira gringa...




Tirei a foto depois da ceia, estufada de comida e bebida. Isso aumentou (literalmente) meu look Geyse Arruda, I know.


Início da noite ''all by myself, don't wanna be...'', matando as garrafas.
Ah, olha só como meu cabelo desbotou depois de UMA lavada.


No chat dos orfãos solitários


E.. bom, agora quero falar de algo sério. O problema de escrever besteiras é que quando a gente quer falar de algo preocupante, fica com receio de que não compreendam. Queria pedir a ajuda de todos vocês, milhares de 4 pessoas que acessam este blog (incluindo eu mesma), para que vejam a foto desse rapaz abaixo e divulguem, compartilhem, colaborem. Ele é o primo de Júnior e está desaparecido. Por se tratar de alguém com sérios problemas mentais, a situação se torna ainda mais preocupante. Por favor, se virem este homem por aí, chamem a polícia. Não tentem chegar perto, pois como ele é um retardado de alto grau, ele pode ser agressivo, babar em cima de você e tentar inserir o dedo em diversos orifícios.








Vamos usar o espírito natalino de amor e compaixão que atinge a todos esta época do ano e tentar fazer o bem. 
Oremos.



Que Deus abençõe a todos. Feliz Natal.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Vemnimim

Eu adoro Leoni. Ele é uma gracinha (e eu a Hebe). E tem algo muito tchutchuquinho (ok, nem a Hebe é tão brega) neste vídeo dele ensinando a tocar... Garotos.



Te falar, a pandeirada comigo ia ser outra.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Aniversário da Lulux

My dear friend Lucila, faz 14 aninhos (com cara de 12) hoje e ontem, nós duas e o Adalba fomos dar um rolê comemorativo.



Aqui a gente havia ido tomar uma casquinha, enquanto o Adalba não chegava. Aproveitamos pra falar mal dele, é claro.


Aniversariante leeenda s2


Fica esperto, Ronald, Lulux está solteira...


Não sei qual meu lance colocando o dedo nas bocas de terceiros. Imagino que se tivesse um pinto, seria ele.


Momento "tive infância, mas sofri bulling, agora me deixe ser feliz"





Bom, eu tomei 2 pingas e 2 cervejas. Isso não é nada pra mim. NADA. Quando saio com a Glê, faço isso e fico normalzona. Ela tá de prova (exceto no dia do Clube das Mulheres). 
Só não tinha entendido porque dessa vez fiquei muito louca. Muito.  
Bem, minha ficha caiu hoje de manhã: antes de sair, eu havia tomado 2 alprazolans, porque tava meio mal. Deu no que deu.


Pronto, a seguir, não lembro de mais nada pra poder comentar as fotos.



Enfiando o dedo na boca da Lucila (na falta do meu pênis).



Não lembro quem são essas pessoas.


Feliz Natal, São Paulo.


Update (22/12)

Descobri que câmeras de segurança me filmaram saíndo do metrô


domingo, 18 de dezembro de 2011

"Até que..."



Mais gente assim, pro favor. No Brasil, não adianta esperar polícia, esperar autoridades, esperar a lei, a justiça.

Como diz o Pensador: "Eu sou contra a violência mas aqui a gente peca por excesso de paciência"

Vai lá você, porra! E faz o que tem que ser feito.

sábado, 17 de dezembro de 2011

8.4 + ox 30 vol =

Yes, I did it, niggers!

Bem, se você me conhece pessoalmente, é provável que já tenha me ouvido falar há alguns meses que estava muito afim de mudar a cor do cabelo. Fazia anos, quase uma década que eu estava loira, já não aguentava mais.
Castanho em mim fica boring. Preto, eu curto, mas depois é impossível de tirar. Sobrou vermelho, que é outro cu pra mudar caso de merda e o alaranjado. Sim, meu sonhado alaranjando. Cenoura, ferrugem, água de salsicha, arroto de Fanta, chamem como quiserem.

Agora, espero que dure, né? Por que algo me diz que na primeira lavada já vai desbotar horrores... :-(






Na luz natural dá pra ver que era loiro antes


Sem flash (e maquiagem, mas eu tirei pra eu mesma ver como estava, não achei que ia por no blog, mas foda-se)


Com flash (sutiã bege, desculpe se não causo ereções)


 Ele todo... e minha olheiras


Sei que a maioria não vai curtir, mas eu gostei, so..

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

You know, you must take a look at me



You know, you must take a look at the new land
The swimming pool and the teeth of your friend
The dirt in my hand
You know, you must take a look at me

Baby, baby
I know that's the way

You know, you must try the new ice-cream flavour
Do me a favour, look at me closer
Join us and go far
And hear the new sound of my bossa nova

Baby, baby
It's been a long time

You know, it's time now to learn portuguese
It's time now to learn what i know
And what I don't know
And what I don't know
And what i don. t know

I know, with me everything is fine
It's time now to make up your mind
We live in the biggest city of south america
Of south america
Of south america

Look here read what I wrote on my shirt
Baby, baby
I love you

You do
Baby.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Achei umas fotos antigas

E pra que serve um blog senão pra compartilhar momentos elegantes de nossa vida?









Teenager rebelde que ouve Eminem



Cabelo vermelho menstruação




No bar cas amiga e com as bee



Bebassa e meu vômito (torta de palmito)



Maquiagem meio over com meu amigo Cido.



Ok, esta última é brinks...

sábado, 10 de dezembro de 2011

As vezes eu canso de ser chata, arrogante, insuportável. Penso em dar alegria para aqueles que me odeiam de me verem miserável. Trocar o ódio, por pena. Rancor, por dó. Expor meu lado frágil, desesperado. 


Eu não estou sempre com sorriso no canto da boca.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Momentos daguerreótipo

Ahhhh, que saudades da Lucilaaaaaaaaaaaa!!!
Eu vejo essas fotos e lembro de uma época que (como odeio dizer isso) eu era feliz e digamos que... não estava 100% ciente disso. Quer dizer, eu vivo reclamando, né? Nunca tô satisfeita.

Enfim... good days


Sensualizando - By Lulux 


Adalba zen e eu fazendo o que parece ser um bico - Foto espontânea by Lulux

Tate tesudo

Eu consigo enxergar os criadores da série...

"vamos criar um personagem assim e assado"
"mas que público vamos atingir com ele?"
"a nathalia"



Atingiu mesmo! No meio do coração!
*bate no peito e suspira*

As vezes o original é bom também

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

"There are many things that I... would like to say to you"

Why do we have this pathetic need of falling in love? Why do we act and even believe that’s something we can’t control it?

I don’t even think is called love. It’s just (just?) passion.


So then… we - or maybe that’s the part where it starts being “I” - start feeling clumsy and stupid.


And start projecting everything we wish and dream of in someone we don’t really know.


By the way… do  we - now is really “we”- ever KNOW someone for real?  


I like you.


I have no idea of what you feel about me.


I don’t even know if you feel any shit at all.


I guess I - yes, “I”, it’s all about me now - never will.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Marte e Vênus



Eu realmente não devo entender os homens, principalmente, os héteros. E torço pra que seja isso mesmo, porque senão, a outra explicação seria de que eu os entendo e minha compreensão me leva a acreditar que são todos uns boçais. Tipo, vamos pegar 2 coisas que são quase exclusivamente destinadas ao público masculino: cerveja¹ e pornô² (mulher bebe e toca siririca [elegância], mas por algum motivo, isso parece ser ignorado por aí)..

1) Cerveja - Comerciais idiotas, sem graça e cheios de esteriótipos. A impressão que passa, é de que todo homem é imbecil, por isso, a linguagem de marketing tem que ser também.

2) Putaria - Olha, não que eu acesse, ok? Nem eu, nem sua namorada, nem sua irmã, nem sua mãe... se bobear, nem sua vó. Ok? Ok. Mas, o que são aqueles close ups? SÉRIO! Tem cenas em que os atores são tão depilados (nada contra) e o close é tão grande, que você, caro amigo, pode tá punhetando para mãos fazendo mimica sem saber.

Bom, desabafo feito, vou confessar uma coisa... comerciais direcionados ao público feminino, tipo Activia (já cagou hoje?) e água Bonafont (menina! você não sabe, tô mijando jatos) também envergonham meu clitóres.
E esta é minha esperança, que por aí existam pênis que se sintam constrangidos com losers no bar e o close no cachorro quente (sim, elegância).

As flores de plástico

Tem horas que eu olho pra eles e penso: eu teria coragem, eu não desistiria no meio. Mas e depois, se houver algo mais? Deve ter algo mais, não é possível. O medo do desconhecido é a única razão? Porque se for, não é digna o bastante para prolongar, antes acabar tudo de uma vez.

Há horas em que me pergunto se certas possibilidades que eu não conheço são mesmo maiores do que as de eu ter algum conserto.

Voltei com a argola

Até ontem eu podia trabalhar com cabelo azul e percieng neon, agora, já não sei mais como vai ser. Mas enfim... heaven knows how miserable I'm going to be.


domingo, 4 de dezembro de 2011

Tenho algumas blasfemias na minha lista de pecados

No natal de 2003, eu desenhei um pinto em uma cartolina, colei lantejoulas, glitter e recortei. Depois pendurei na árvore de natal e filmei com "Peru Natalino" escrito na tela.
Até hoje imagino o que teria acontecido se meu pai tivesse visto. Ele era super católico e tudo pra ele tudo ou quase tudo era considerado ofensa. No ano das eleições, eu fiz um enfeite com o Obama, pra ser uma árvore temática e meu pai ficou puto.

Ninguém entende minha arte.

Mas o pior foi há uns 2 anos. Tipo, na minha casa, sempre montam o presépio e é tradição colocar o menino Jesus só no dia 25 (o dia que ele nasceu, saca?). Então a manjedoura até lá fica vazia. Bem, não se eu e meu sobrinho pudermos impedir. Nessa tal vez, nós tivemos a idéia de colocar lá um bonequinho que veio em um Kinderovo e que minha mãe tinha pavor. É tipo um demônio azul com asas iguais de gárgulas (é, veio no ovinho de chocolate que já custou 50 centavos nos anos áureos).

Mano, minha mãe realmente tinha medo daquele bichinho. E ela quase me fez engolir ele.

Teve também um ano novo que sobraram uns ovos mais antigos na hora de fazer as receitas. Minha irmã queria desperdiçar eles jogando fora. Meu, não se joga fora ovo podre, se taca. De novo, eu e meu sobrinho tivemos a brilhante idéia de atirar na calçada. Eu ficava escondida atrás de uma árvore na frente e ele atrás da garagem com os ovos. Dei o sinal para ele tacar e BEM NESSA HORA passou um carrão da ROTA, com os polícias armados nas janelas. Sabe o que é ter o cu na mão? Quase literalmente? É o que aconteceu comigo quando a porra do ovo acertou em cheio a viatura. Eu quase caguei toda com medo que me vissem ou que meu sobrinho aparecesse gritando "e aí, acertei em alguém?"


Enfim, histórias natalinas... não é à tôa que meu nome é NATHALia, amo esta época... NOT

Mais imagens do stop motion

Clodoaldo, the Legend e o palhaço Wonald


Drew Barrymore da Z/L



Wonald e Pí ca ca ca carô - ca ca ca carô

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Por que eu detesto pés?

Pra começar, por que não há nada pra se gostar neles, são tipo mãos, deformadas. 

Meu dedo mindinho parece algo alienígena. Um dia cismei com ele, no meio da rua, de sandália.

Cogitei até cortar fora.



Mão... deformada.

Essa noite... não.

A cidade enlouquece sonhos tortos
Na verdade nada é o que parece ser
As pessoas enlouquecem calmamente
Viciosamente, sem prazer

A maior expressão da angústia
Pode ser a depressão
Algo que você pressente
Indefinível
Mas não tente se matar
Pelo menos essa noite não

As cortinas transparentes não revelam
O que é solitude, o que é solidão
Um desejo violento bate sem querer
Pânico, vertigem, obsessão

A maior expressão da angústia
Pode ser a depressão
Algo que você pressente
Indefinível
Mas não tente se matar
Pelo menos essa noite não

Tá sozinha, tá sem onda, tá com medo
Seus fantasmas, seu enredo, seu destino
Toda noite uma imagem diferente
Consciente, inconsciente, desatino

A maior expressão da angústia
Pode ser a depressão
Algo que você pressente
Indefinível
Mas não tente se matar
Pelo menos essa noite não


Lobon 


 (Uptade)
Noffa, descobri que o autor é o Ivo Meirelles

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Outro teaser..

Dessa vez do documentário, Clodoaldo, The Legend, que só vai se feito (com sorte) ano que vem, mas já dá pra sentir a vibe do... mestre, ícone do humor!


domingo, 27 de novembro de 2011

Esses dias eu me vi de relance no espelho...

... E quase soltei aquela risada escrota, estilo Nelson, dos Simpsons: "ha-ha!".
Por quê?
Bom, first, eu estava de cabelo preso, que nunca uso em público, já que me sinto pelada! Sem falar que minhas orelhas não me agradam. Elas me lembram aquelas fotos de gente muito velha em lápides de cemitério, sabe? É...
Second, estava usando meus óculos wayfarer transparente, que eu comprei provavelmente 1 dia e 4 horas antes de virar febre/modinha/referência de família Restart. Eu já não curto usar óculos em nenhum momento da vida (nem cagando, lendo a Vogue), depois disso então, virou minha desculpa preferida pra não colocar nunca (só não serve pra justificar porque então não uso meu outro modelo, com armação diferente).

Somando essas duas coisas, resultou num ser que apenas quem mora comigo tem o constante desprazer de ver, mas que vou deixar que conheçam hoje, neste post. 

The real me. 
E foda-se...











Preparados?











Se estiverem comendo, parem.











Se tiverem um vídeo carregando no xvideos, sinto muito.













 Diga "oi"...













Olá, rysos.

"O sono dos sonhos"

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Garota no youtube revelando meus segredos...



Tirando a parte do banho, que eu não tomo, é por aí mesmo.

"A arte de fotografar e fingir que é arte"

"A garota e a pipoca que cheirava bacon"


 "O rapaz de moicano"


 "Ai se eu te pego, ai, ai..." 


 "O ângulo tendencioso"


 "O tiozinho, o bigode e a bengala"


"A soneca em público"