sexta-feira, 30 de agosto de 2013

FILF's

Eu sei, eu sei...  todo mundo envelhece exceto o Jared Leto.

Todo o resto enfrenta os primeiros fios brancos, marquinhas de expressão... o pé de galinha, o bigode chinês, as linhas de marionete e por aí {{ tristemente }} vai....

Mas têm dois casos específicos que me partem o coração, sabe? Dois atores que sinto dó mesmo em ver cada ano passar e eles deixarem mais e mais a imagem de tchutchuco delícia (como eu gosto de referir) para trás!

Um é este aqui, antigo tesão, James Spader...


Sim, esse tiozinho era um te-são. Acho que Secretary foi o último filme onde ainda era evidente o quanto este homem é/foi sexy. 

Outro que eu sou apaixonada é o Robert Sean Leonard. Maaaaaaaaaano, no House MD ele ainda estava um FILF (Father I'd Like To Fuck HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHA FILF!!!), mas parece que de um ano pra cá o negócio já desandou um pouco...




 Ai, Dr. Wilson... estrabismo e covinhas na época da série me deixavam louca. 

Mas tudo bem, oras. Primeiro, que né, não é como se fosse uma 'perda' real na minha vida. Segundo, que foda-se como cada um envelhece, não é como se eu achasse que as pessoas têm que se tornar paranoicas e lutar contra aparência da idade, pelo contrário, sou mais é a favor de que aceitem os efeitos da gravidade... da papada até as nádegas. 

Só fiquei meio assim, sabe... meio... hmmm... poxa... custava usar uns cremes da Clinique?

Caso alguém não conheça as figuras desses dois há alguns anos, aqui estão...

James


Robert (meio Jim Carrey)


Bad bad boy

Não vou nem dizer que eu tentei fazer aquele efeito clone, mas descobri na cagada como se faz. Não que edição seja neurocirurgia, né... a maioria dos tutoriais são feitos por crianças de 12 anos.

Agora que sei, na próxima vez vou calcular os espaço e fazer umas gracinhas... afinal, é isso que falta na internet, né? Gente perdendo tempo fazendo babaquices e editando pro youtube.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Toninho

No post anterior mencionei esta figura aqui. Desculpa, mas acho que formamos um casal perfeito. Tipo, ele trabalha com manutenção... e eu aqui com excesso de umidade. Hmmmm.

Me seca neném

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Pega ou não pega

O Jared acabou de postar isso no Instagram.


Quando fui ver o shows deles em SP (2011), o Jaredão pulou na plateia durante The Kill, como deve fazer em todo show e eu que estava na grande, lógico, passei a mão nele, no peito dele sem camisa, enfim... Devo ter comentado aqui na época.

Lembro que senti a maior vontade de fazer a pervertida e tacar a mão na bunda ou na piróca. Foi tudo muito rápido, mas juro que tive tempo de titubear quanto a isso na hora. E o que me impediu, foram flashbacks dessa cena aqui


Aí, tô lá, com receio de levar uma microfonada na cabeça e sendo respeitosa como não fui com o Toninho da manutenção do Clube das Mulheres, controlando meus instintos e tal... quando vejo uma mão acariciando aquele pênis tão desejado (hahahahaha). 

Tempo depois, faltava só uma música para acabar show, eu estava quase desmaiando com o cheiro maldito da moça ao meu lado, que não devia ter tomado banho há dias acampando na fila, então pedi pro segurança me tirar de lá e fui esperar meus ~amigos~ fora da platéia. 

Dei uma perambulada e perguntei para uma funcionária se tinha um lugar para sentar, beber água e ela me falou para ir na enfermaria. Lá, vi o povo que desmaiou, passou mal, teenagers chegando de maca, de cadeira de rodas, hilário. Eu devia estar rosa choque, pois uma enfermeira veio medir minha pressão. Mas eu estava de boa conversando com um menino que certa hora me conta 

"noffa, quando Jared pulou, taquei logo a mão na virilha dele..."
"ah, foi você então, eu vi sua mão"
"noffa, delícia aquela linguiça"

Ok, esta última fala eu inventei, pois não lembro como a conversa seguiu (e nem tava bêbada). 

E bem, só isso que queria contar. Fim.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Insólita

Os valores me empobrecem
As regras me excluem
O certo me corrige
O errado me faz companhia

Quando eu nasci, um anjo torto me disse: até que enfim, alguém mais torto ainda

terça-feira, 6 de agosto de 2013

É a culpa, é a pedra, é o fim do caminho...

Tem um menino na minha rua que usa crack. Ele deve ter 12 anos. Apesar de todo o discurso de “ele é só mais um nessa realidade”, é difícil ver a cena e não se deprimir (mais). Quais as chances de não ser uma vida jogada fora?

Eu não tenho experiência, não sei abordar ninguém nessa situação. Um menino de 12 anos tira dinheiro de onde pra comprar pedra? Capaz de eu tentar falar com ele e voltar sem celular.

Sabe outra forma de ver uma vida ir abaixo? Depressão. 

A vida passa tediosa, amarga e lentamente, mas quando se dá conta, já foi embora. Depressão é BFF da Culpa. Uma não se separa da outra. 

Culpa... 

A vida me deu mais chances que ao menino drogado e ainda assim, ela foi pelo ralo.

sábado, 3 de agosto de 2013

A maior expressão da angústia


Depression is making me go insane. And is escalating fast.

Every day there’s a new obsession. I can tell it’s not a normal behavior, I feel ridiculous, but I can NOT stop it. I need to know, I need to know these things, so I obsess about them (I won’t say what).
It’s all real though. I wish it wasn’t. I wish these were just sad ideas I created in my head, but they’re not. It’s reality. And it gets harder and harder to deal with.

I’ve been diagnosed twice as a bipolar. The second time I argued with the doctor that he was wrong and that he should find  a better diagnostic, for two reasons:

One: If he actually gave me a medication that would stabilize my mood, I wouldn’t be depressed, but also, I wouldn’t feel like I was a goddess. I felt like that for some time here and there. And I did made a lot of stupid things I’m incredibly embarrassed of. I even got fired because of it. But I was fired in other occasion for being too depressed and isolated, so… fuck it. At least mania felt good.

Two: The first medication I was prescribed for bipolar made me gain weight. I have eating disorders... Binging, purging and binging so more. And laxatives... I had a fucking overdose years ago and almost died. I can’t gain more weight!

But now… oh God now…  I’m stuck at depression, the worst so far. Anxiety, hopelessness…  and fucking obsessions. I wonder if there's a way out. There's got to be a fucking way out.